A fantasia não é exactamente uma fuga da realidade. É um modo de a entender.
(Lloyd Alexander)



sábado, 4 de dezembro de 2010

Simplesmente


Não sabia exactamente o que sentia. Era como se a mochila - imaginária - que carregava às costas, ficasse cada vez mais difícil de suportar. Era como se toda a tralha que juntara ao longo dos anos, pesasse cada vez mais e mais. Sabia que estava no seu limite. Sentia-o. Era preciso deitar fora algum peso. Limpar a sua vida. Renovar o seu sorriso. Mas não sabia por onde começar. Pousou a mochila - imaginária - e tombou pela leveza da sua ausência. Parou. Esqueceu tudo. Ignorou o telefone que tocava. A chuva que caía e o sol que brilhava. Esqueceu que tinha fome, frio ou sono. Parou simplesmente de viver. Porém o seu coração continuou a bater. Igualmente esquecido. Ela não o ouvia. Ela não ouvia nada nem ninguém.

Foi então que olhou a mochila - imaginária - caída no chão. Toda a sua vida pulsava no seu interior, em cada fecho, em cada bolso. Sabia que assim que a abrisse, libertaria todas as suas memórias. Todos os medos e todos os sonhos. Todo o seu passado. Mas libertar o passado, naquele preciso momento, não a libertaria do que a impedia de se mover, pois não era o passado que lhe pesava. Era o presente e as decisões que não tomava. As palavras que não dizia e a coragem que não tinha. O peso maior estava dentro dela. Em cada fecho, em cada bolso do seu íntimo. Desamparada e perdida, voltou a coleccionar sonhos e a guardar memórias. Enfrentou medos e ganhou coragem. Recomeçou simplesmente a viver.

Helga, Maio 2010

7 comentários:

Fê-blue bird disse...

Minha querida amiga:
Quanta saudade! Simplesmente belo este seu texto.
Recomeçou simplesmente viver.
Um final perfeito!

Beijinhos

Johnny disse...

Há, no entanto, mochilas de vários tamanhos....

Janaina Cruz disse...

Esvaziamos nos tantas vezes, por medo, ou por pesos, e de repente nos vemos vazios, então corremos para juntar todos os nossos fragmentos... Lindo teu blog, sigo-te!

Pedrasnuas disse...

E ESSA LINDA MENINA ÉS TU?

NÃO RESPONDAS SE NÃO QUISERES...

UM TEXTO MUITO REAL...ACONTECE FAZERMOS ISSO MESMO À VIDA, ESQUECERMO-NOS DELA!!!

BEIJINHO NATALÍCIO

Eliete disse...

Helga, depois de um sumiço volto e encontro esta linda casa. bjs

Regina disse...

Helga, coloquei no meu post "fases da dor", seu nome e a transcrição de Anatomia de Grey.Passe lá para ler.
Você é de onde?
Portugal?
me escreva
Email reginarech@hotmail.com
Abraços perfumados
Regina
PS. Lindos os seus blogs. Palavras lindas, vindas do céu....

Brown Eyes disse...

O passado e a falta de decisão impede-nos muitas vezes de sermos felizes. Lindo, como tudo que escreves.
Beijinhos